quarta-feira, 10 de setembro de 2008

Silêncio e tanta gente




Às vezes é no meio do silêncio
Que descubro o amor em teu olhar

É uma pedra
Ou um grito
Que nasce em qualquer lugar

Às vezes é no meio de tanta gente
Que descubro afinal aquilo que sou
Sou um grito
Ou sou uma pedra
De um lugar onde não estou

Às vezes sou também
O tempo que tarda em passar
E aquilo em que ninguém quer acreditar

Às vezes sou também
Um sim alegre
Ou um triste não
E troco a minha vida por um dia de ilusão
E troco a minha vida por um dia de ilusão

Às vezes é no meio do silêncio
Que descubro as palavras por dizer
É uma pedra
Ou um grito
De um amor por acontecer

Às vezes é no meio de tanta gente
Que descubro afinal p'ra onde vou
E esta pedra
E este grito
São a história d'aquilo que sou


Maria Guinot

4 comentários:

Verónica disse...

Belo poema smile.
A descoberta do amor faz-se em silêncio.O coração sabe interpretar.
NO meio de todos às vezes ficamos sós.
Quando ninguém nos acredita é doloroso.
O mais importante é sabermos para onde vamos,para não nos perdermos.O nosso cérebro é um bússola.
E se há um grito, que seja de revolta, é menos triste que a paciente resignação.

em azul disse...

"E troco a minha vida por um dia de ilusão
E troco a minha vida por um dia de ilusão"

Tanta gente o faz... como eu o faço... parece um momento triste.

um beijo
em azul

fiel.jardineira disse...

Bonito :)... descobrirmo-nos e perdermo-nos em nós proprias... Bjs

Smile disse...

Olá amigas,
Adoro este poema e para uma canção que foi ao festival, fugiu e muito às músicas festivaleiras.
Bjs musicais