quarta-feira, 2 de março de 2011

Tempo

Hoje faz 3 anos que criei este meu cantinho. E por coincidência ou não, porque o destino tem destas coisas, a partir de hoje faço uma pausa ou quem sabe, um término. Uma pausa para pensar, uma pausa para descansar, uma pausa para arrumar as prateleiras, uma pausa para limpar... seja porque motivo for, preciso dessa pausa ou desse término. Talvez volte ou talvez não. De momento não sei dar essa resposta, nem a mim mesma.

Aqui criei laços de amizade e carinho por alguns de vós e espero manter assim, sabem onde me encontrar.

Mas por vezes por mais que queiramos continuar, não conseguimos. Já uma vez estive ausente, mas regressei pouco tempo depois ao meu blogue, mas desta vez não sei se será o caso. Tenho os meus motivos e peço que me compreendam.

Visitarei o vosso cantinho como sempre fiz, pois só ficarei ausente aqui do meu cantinho e não do vosso.

Bem hajam e tudo de bom para vós que sempre passaram aqui.

A vossa presença foi e sempre será importante para mim.








Um astrónomo, disse: Mestre, que pensas do Tempo?

Gostaríeis de medir o tempo, o infinito e o incomensurável. Gostaríeis de ajustar a vossa acção e até orientar o curso do vosso espírito de acordo com as horas e com as estações. Gostaríeis de fazer do tempo um rio em cujas margens pudésseis sentar-vos a contemplar o seu curso.
No entanto, o infinito que há em vós tem consciência da eternidade da vida; e sabe que o hoje é só memória do dia de ontem e que o amanhã é sonho de hoje. E que aquilo que em vós canta e em vós contempla mora ainda nos limites daquele primeiro momento que semeou as estrelas no espaço.

Quem de vós não sente que o seu poder de amar é ilimitado? Quem não sente que esse autêntico e verdadeiro amor, embora sem limites, e fechado no centro do seu ser, não se desloca de um sentimento de amor a outro sentimento de amor?

E não é o tempo, como o amor, indivisível e imóvel?

Se no vosso pensamento tiverdes de medir o tempo em estações deixai que cada estação abrace todas as outras. E deixai que o dia de hoje abrace com saudade o passado, e o futuro com ansiosa esperança.

O Profeta - Autor: Khalil Gibran

Foto: Nicolas Sora-Do


terça-feira, 1 de março de 2011

Quero...

Que venha a mudança de hora
E que chegue a Primavera
Acompanhada de bom tempo
E sentir no rosto a brisa suave e morna
Ver as flores coloridas florirem
E as folhas das árvores se abrirem
E comer as frutas da época
Escutar os sons da Primavera
Observar as andorinhas voarem
Quero percorrer esses campos cultivados
Sentir a vida pulsar
E abraçar a Primavera
Estou cansada deste Inverno
E destes meses sem fim

domingo, 27 de fevereiro de 2011

Minha série preferida e a melhor :-)

"Conta-me como foi"

É a minha série preferida e a melhor, no meu ponto de vista.

E a vossa qual é? :-)



quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

That's magic.

Shawn Farquhar

Com a música “Shape of my heart” de Sting




“eu sei que as espadas são espadas de um soldado

Eu sei que os paus são armas de guerra

Eu sei que os ouros significam dinheiro para essa arte

Mas essa não é a forma do meu coração”

STING

Existem muitas cartas, mas o meu coração só conhece uma carta...

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Frases



A distância não é nada quando alguém é tudo.

Foto: Andy de la Cour

Frase: Desconheço o/a autor/a

Let's dance. :-D

Esta é para as minhas amigas vizinhas ViagemLes :-)

Scissor Sisters - I Don't Feel Like Dancin'

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Passwords, pins e afins

É passwords, é códigos para entrar nas aplicações, programas, bankins lá no estaminé... é pin’s, pon’s, pan’s e afins para confirmação, validação para aqui... validação para acolá... e sei lá mais o quê!!!

Com tantos pin’s e pon’s acabo por não saber o código do meu cartão de débito. Hoje fiquei a olhar para as teclas da machine do multibanco sem me lembrar do codigozinho. Tentei duas vezes e acabei por desistir não fosse a maldita maquina engolir o meu cartão.

Devo estar mesmo cansada porque na semana passada olhei para uma colega, queria chamá-la e por breves segundos nem o nome dela lembrava. (Também não fez mal, era daquelas colegas muito queridas que à primeira oportunidade prega-nos uma rasteira... bastou só lhe dizer "olha" que ela olhou... ehehe) :P

Acho que estou a precisar de “emigrar” por uns tempos para um merecido descanso. Alguém sugere um local? Não precisa ser além fronteiras... :-D

Ahhh... se me esquecia (ehehe)... depois acabei por lembrar do codigozinho. ;-) :-D

Ahhh... outra coisa!!! Hoje a nossa vida anda à roda de passwords, pin’s, códigos, números e afins... até nós não passamos de números para certas pessoas e instituições, mas somos mais que isso, temos um nome e somos seres humanos com sentimentos e não máquinas.

domingo, 20 de fevereiro de 2011

Do you remember?

Kenny Loggins - Footloose (1984)




Almost Paradise - Mike Reno & Ann Wilson


quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Momentos

Hoje foi bom saber que tenho amizades que se preocupam comigo, que estão ali para escutarem e me apoiarem, ter um ombro amigo, por saber que não fui nem sou indiferente. E eu, cujos meus sentimentos estão sempre à flor da pele, chorei.

Às vezes gostava de ser um pouco diferente, não ter estes sentimentos tão à flor da pele... chorar por ‘tudo e/ou por nada’ (até a ver desenhos animados eu choro), mas eu sou assim e por mais que eu tente mudar não consigo. Mas ser assim não é assim tão ruim, só espero que as minhas lágrimas não sejam entendidas como lágrimas de crocodilo.

Nota de rodapé: Se a TVI sabe que sou uma choramingas, contratam-me logo para uma novela de choramingas. :P :-D

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Sair do armário.

Já há dias que estava para escrever este post. Como sou alguém um pouco reservada e tímida... até essa maneira de ser reflecte-se aqui no blogue.
Mas sim, é verdade... a porta de meu armário abriu um pouquinho. Abri o coração a um familiar meu e contei tudo o que tinha a contar. Esse familiar revelou-se uma enorme surpresa para mim. Para esse familiar sai do armário, uma porta ainda pequena é certo, mas saí. Agora sei que posso contar com ele para o que der e vier. E claro, sentimentalista como sou... chorei com emoção.

Porquê?

“Porque metade de mim é amor... e a outra metade... também!!!”


terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Observação do dia

Aquela musiquinha do Pingo Doce ( passe a publicidade :P ) e as mãozinhas a "dizer" venha cá, já está a fazer-me passar dos carretos. :P :P :D

Ai coisinha irritante!! ehehehe

Let's dance.

Nouvelle vague – Dance with me



segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Feliz Dia dos/das Namorados/as :-)

Hoje...
... e todos os dias do ano. :-)


Amor!
Que volume numa palavra!
Um oceano numa lágrima;
Um sétimo céu num olhar;
Um turbilhão num suspiro;
O relâmpago num toque;
Um milénio num momento.

Love!

What a Volume in a Word!

An Ocean in a Tear;

A Seventh Heaven in a Glance;

A Whirlwind in a Sigh;

The Lightning in a Touch;

A Millennium in a Moment

Martin Tupper

Para as apaixonadas e apaixonados ;-)

Foto: Desconheço o/a autor/a

domingo, 13 de fevereiro de 2011

Reflexos II

Lisboa - Parque das Nações (Oriente)




Fotos (de telemóvel): Smile


quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Poema: Metade

Que a força do medo que tenho não me impeça de ver o que anseio.

Que a morte de tudo em que acredito não me tape os ouvidos e a boca.

Porque metade de mim é o que eu grito, mas a outra metade é silêncio.

Que a música que eu ouço ao longe seja linda, ainda que entristeça.

Que a mulher que eu amo seja para sempre amada, mesmo que distante.

Porque metade de mim é partida e a outra metade é saudade.

Que as palavras que eu falo não sejam ouvidas como prece nem repetidas com fervor.

Apenas respeitadas como a única coisa que resta a um homem inundado de sentimentos.

Porque metade de mim é o que eu ouço e a outra metade é o que calo.

Que essa minha vontade de ir embora se transforme na calma e na paz que eu mereço.

Que essa tensão que me corrói por dentro seja um dia recompensada.

Porque metade de mim é o que penso, mas a outra metade é um vulcão.

Que o medo da solidão se afaste, que o convívio comigo mesmo se torne ao menos suportável.

Que o espelho reflita em meu rosto um doce sorriso que eu me lembro de ter dado na infância.

Porque metade de mim é a lembrança do que fui, a outra metade eu não sei...

Que não seja preciso mais do que uma simples alegria para me fazer aquietar o espírito.

E que o teu silêncio me fale cada vez mais.

Porque metade de mim é abrigo, mas a outra metade é cansaço.

Que a arte nos aponte uma resposta, mesmo que ela não saiba.

E que ninguém a tente complicar porque é preciso simplicidade para fazê-la florescer.

Porque metade de mim é a platéia e a outra metade é a canção.

E que minha loucura seja perdoada.

Porque metade de mim é amor...

e a outra metade... também!!!

Metade de Oswaldo Montenegro


sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Unicórnio de Porcelana


Eu nunca tive e nem tenho por habito “roubar” as idéias de post’s de outros blogues (desculpa Felizes Juntos), mas porque é um assunto que muito me sensibiliza e que fez pequenas lágrimas formarem-se nos meus olhos (e não é preciso muito para isso acontecer) não hesitei em partilhar convosco, os que aqui passam neste meu cantinho. É uma pequena história que, lá no fundo, não deixa de ser verdadeira.

Para que nunca volte a acontecer tamanha crueldade.

Porcelain Unicorn - Keegan Wilcox

Unicórnio de Porcelana

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Momentos Musicais IX

Jonathan Livingston Seagull - Be
Neil Diamond

"Vê mais longe a gaivota que voa mais alto."

"... tu tens a liberdade de ser tu próprio, o teu verdadeiro eu, Aqui e Agora; nada se pode interpor no teu caminho."

Fernão Capelo Gaivota - Richard Bach

domingo, 30 de janeiro de 2011

Poema: Numa concha




Pudesse eu ser a concha nacarada,
Que, entre os corais e as algas, a infinita
Mansão do oceano habita,
E dorme reclinada
No fofo leito das areias de ouro...
Fosse eu a concha e, ó pérola marinha!
Tu fosses o meu único tesouro,
Minha, somente minha!



Ah! com que amor, no ondeante
Regaço da água transparente e clara,
Com que volúpia, filha, com que anseio
Eu as valvas de nácar apertara,
Para guardar-te toda palpitante
No fundo de meu seio!


Poema de Olavo Bilac

Foto: Dirk Juergensen



quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Momentos Musicais VIII

Do filme “O piano”

The heart asks the pleasure first – Michael Nyman

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Selo e Chazito quentinho :-).

Este cantinho foi premiado por um selinho quentinho:

“Este blogue aquece-me o coração!” :-)



1 - Temos que referir quem ofereceu o selinho: A “filhota” Caramela; muito obrigada “filhota” por tal distinção. ;-)

2 – Qual é o teu chá preferido? Bem, não sou muito apreciadora de chazinho. Mas com o frio que têm estado até tenho bebido um chazinho de vez em quando, cidreira e noites tranquilas para dormir mais quentinha e tranquila. :-)

3 – Quantas colheres de açúcar costumas pôr? Entre duas e três colheres de açúcar, depende da quantidade de chá. Sou uma gulosa... ehehe

4 – Passar o selo a 6 blogs. Ora bem, os blogues que iria eleger já estão com o selinho quentinho. E como está muito frio vou selar todos os blogues mencionados aqui no lado direito. :-)


terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Observação do dia

Este ano faço 20 anos de serviço lá no estaminé e comecei a pensar que alguns colegas têm idade para ser meus filhos :P:P

Como o tempo passa…

É engraçado…

...quando entrei no estaminé era eu a “filha” de alguns colegas :-D :-D

domingo, 23 de janeiro de 2011

E por falar em versões... IV

Harry Nilsson - Everbody's Talkin'

Beautiful South – Everbody’s Talkin'

Mika - Everbody's Talkin'

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Hoje!

Hoje a tristeza invadiu a minha alma... porque hoje lembrei-me do meu pai e da minha mãe mais que nos outros dias.... porque não me esqueço da imagem da morte do meu pai à minha frente... porque não me esqueço de ele esperar por mim para se “despedir” e partir... porque hoje faz 42 anos que viemos para esta casa cheia de recordações... porque os nossos pensamentos são encadeamentos de diversas situações que se entrelaçam... porque o tempo não apaga mas apenas adormece!!

Sou forte e quem me conhece bem sabe que sou, mas há dias assim... que nos deixamos vencer pelo cansaço e pela tristeza.

Amanhã é um novo dia e amanhã acordarei mais forte, sei que sim... mas hoje sentia necessidade de exteriorizar o que tinha dentro de mim. Porque faz bem.... porque sim!!

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Música Portuguesa III



Hoje escutei esta música na rádio!

Quem se lembra? :-)


Paulo Gonzo - So do I



segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Observação do dia

Não entendo como há pessoas que para falar ao telemóvel ou para falar com alguém ao lado delas é preciso gritar. É que ficamos a saber (quase) a vida toda delas!!!

“Melhor” que isto... é ver as novelas da TVI!!! :P:P:P :-D